segunda-feira, 14 de setembro de 2015

O Câncer - Dizendo Adeus a Depressão e Vivendo na Montanha Russa

Alguém lembra da guerreira?
Pois bem, vamos deixá-la de lado por um tempo? 
 Nessa foto eu já estava me animando um pouco, mas meus cabelos por causa da químio estavam ficando muito brancos, resolvi então pintar de preto, me senti meia punk, meia andrógina, tomboy talvez...sei lá, só queria melhorar minha aparência de doente, afinal de contas, eu estava saindo do estado zumbi e tinha que estar com uma carinha boa.
Como falei no post anterior ( veja aqui ) eu retornara a quimioterapia por divina pressão rs...e por incrível que pareça entre a primeira e a segunda sessão de quimio aquele nódulo que me causou tanta tristeza e depressão simplesmente começou a regredir! Clap Clap!!  Finalmente a medicação funcionou, não é fácil fazer 12 sessões de Paclitaxel (Taxol) e não surtirem efeito no organismo, concorda que desanima?
Me senti com todos os ingredientes de um bolo delicioso, mas que ao sair do forno mais parecia um bolo de vento, tinha tudo pra dar certo mas desandou no forno, manja?
Mas aprendi que o câncer é uma caixinha de surpresas, uma montanha russa e as vezes até uma roleta russa, comigo está sendo assim, altos e baixos, fortes emoções regadas a violentas explosões de temperamento.
Sei que não estive bem, não estou bem como eu queria ou deveria estar, juro que eu queria agir diferente, ter forças pra correr, seguir certinho a dieta, manter a mente livre dos maus pensamentos, ler livros, participar de palestras, abraçar "a causa", mas eu não sou assim, não ainda. Sou boa para ajudar aquela amiga que precisa de uma palavra, de um abraço, de um mimo, do meu ouvido, sou boa pra chorar junto e rir também, eu me conheço bem e sei dos meus limites, embora as vezes eu viro inconsequente e remo contra a maré.
Não sou perfeita certo? E passo longe da categoria "Onco Musa", só quero encontrar equilíbrio, me tornar mais forte, fincar os pés e seguir.
Aliás, fiz as pazes com Deus! Nossa, como faz bem você ter em quem agarrar-se nas horas difíceis, só eu sei o quanto tenho recebido em troca por estar em paz com Deus e o Universo, muito tem me acontecido e não é nas grandes coisas que vejo brotar a minha fé, é justamente nas pequenas, e essas tem me fortalecido dia à dia.
Os dias ruins? Eles vem, não tem como evitar é só lembrar da montanha russa e etc...
Por isso é normal sentir-se triste, deprimido, desanimado, frustrado, e isso vale pra quem tem câncer, diabetes, hipertensos, cardíacos, enfim, os doentes crônicos. Será que aquela Onco Musa do Instagram que coloca a camiseta com um laço cor de rosa e sai correndo por ai, ou aquela que faz canoagem, ou stand up, ou aquela que resolve viajar pra uma ilha paradisíaca para esquecer "os problemas", sofre menos que você que espera um transplante de medula, ou acabou de passar por um cateterismo ,ou sofreu um avc e esta na fisioterapia tentando andar legal de novo? 
Somos todos iguais, queremos viver, da sua maneira do jeito que tiver de ser! Eu quero viver, porque eu ainda não fui a Disney, nem a Cuba, e nem comecei minhas aulas de dança do ventre...mas falo nisso outra hora....



2 comentários:

Andrea disse...

Val!!! Que força mulher! Parabéns pela força e pela dedicação no tratamento, como você bem disse, não somos perfeitos, mas tudo acontece por um motivo e como todos os problemas que você já passou, durante a vida, esse será só mais um. A montanha russa já já para e você poderá andar de carrossel. =D
Bjs

O Mundo de Danica disse...

Me derramando em lágrimas....Estou num processo de recuperação tmb , fazendo fisioterapia pra ver se volto a andar firme como sempre andei. Temos desafios diferentes. Mas temos objetivos parecidos e ler tuas palavras me fez sentir melhor , pois havia acordado desanimada. Abraço forte pra vc